Posted by: kohlerortofacial | November 24, 2010

Zumbido pode ser gerado por contrações musculares

Segundo estudos publicados em 2007, na revista Progress in Brain Research, o sistema somatosensorial – o qual percebe as sensações corporais através do córtex cerebral – da região da cabeça e do pescoço pode estar intimamente ligado com a percepção do zumbido em algumas pessoas. “Além das causas próprias das estruturas internas dos ouvidos, principalmente das cócleas – estruturas internas dos ouvidos em forma de caracol – outros fatores podem desencadear o sintoma, como mostra o estudo”, afirma Gerson Köhler, ortodontista e ortopedista facial ortodontista da Clínica Köhler Ortofacial e membro do GAPZ – Grupo de apoio a pessoas com zumbido.
De acordo com o otoneurologista americano Robert A. Levine e seus colaboradores, que fizeram a pesquisa, o zumbido também pode ser causado por distúrbios neuromusculares da região de cabeça, incluindo a face e toda a movimentação da boca, e do pescoço. “Cientificamente este fato é chamado de ativação do sistema somatosensorial”, esclarece Juarez Köhler, especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial da Clínica Köhler Ortofacial.
Gerson explica que os pesquisadores fizeram “testes somáticos”, ou seja, um protocolo clínico de avaliação que consta de  uma série de contrações – induzidas pelo clínico –  para testagens. O resultado mostrou que o zumbido pode ser modulado, variando sua intensidade e modo de apresentação, em percentual significativo de pessoas que têm os sintomas iniciais. “O mais interessante é que esta bateria de testagens, feita através de contrações musculares, também pode desencadear a percepção sonora de zumbido em aproximadamente 50% de pessoas que ainda não sofrem com o problema, mas podem estar propensos a desenvolvê-lo”, declara.
O estudo mostrou ainda que estes fenômenos somáticos existem entre pessoas com ou sem alterações das cócleas. Para Levine a explicação é que as influências somáticas são fundamentais para a operacionalidade do sistema auditivo em geral e da sensação do zumbido em particular. “Os pesquisadores ressaltam que os testes somáticos deveriam ser realizados em todas as avaliações de pacientes com sintomas de zumbido para ajudar no diagnóstico correto”, pontua Juarez.
A utilização destes testes por médicos e odontologistas que trabalham de forma interdisciplinar na questão do zumbido pode ser muito benéfica, melhorando o entendimento do papel do sistema somatosensorial na geração das sensações acúfenas, que é a percepção de um som no ouvido ou na cabeça sem a existência de um estímulo externo.
Além disso, esta avaliação permite que os pacientes portadores de zumbido causado por envolvimentos neuromusculares possam ser identificados com mais facilidade. “O excesso de força muscular na região de cabeça e do pescoço, incluindo os apertamentos feitos pela boca, é um fator neuromuscular que pode desencadear o zumbido. O sintoma também pode estar ligado a distúrbios das articulações temporomandibulares, local de encaixe da mandíbula no crânio que fica ao lado dos ouvidos”, acrescenta Gerson.
Os dois especialistas em Ortodontia consideram que este estudo é importante na medida em que ajuda no diagnóstico do zumbido e comprova que a presença da Odontologia – principalmente a área de Ortodontia, Ortopedia Facial e Disfunções Craniomandibulares – é imprescindível nas equipes interdisciplinares. “É fundamental um tratamento que seja feito em conjunto com médicos otorrinolaringologistas, otoneurologistas e especialistas da área de Ortodontia”, finaliza Juarez.


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Categories

%d bloggers like this: